Alunos visitaram a Barragem da Aguieira e a empresa Pellets Power

Data: 2012-03-02
Fonte: Câmara Municipal de Mortágua


Visita de Conhecimento integrou programa da “Semana das Profissões”

No âmbito da “Semana das Profissões”, cerca de 100 alunos do Agrupamento de Escolas de Mortágua, do 8º e 9ºano, efetuaram na passada quinta-feira uma visita de conhecimento à Barragem da Aguieira e à empresa Pellets Power. A visita foi promovida pelo projeto “Da Escola, Agarra a Vida”, inserindo-se no programa de atividades da “Semana das Profissões”, que termina amanhã.

Na visita guiada ao interior da Barragem, os alunos colheram informações sobre a construção da Barragem, as características físicas e técnicas do empreendimento hidroelétrico, e até puderam ver em funcionamento os potentes geradores e a sala de comando das operações.

A Barragem da Aguieira entrou em funcionamento em 1981, e integra-se na Bacia Hidrográfica do Rio Mondego (Rio Mondego, Dão e Criz) , sendo Mortágua um dos concelhos mais abrangidos pela sua zona de influência.
A produção de energia elétrica; a regularização dos caudais de cheia, a regulação do regadio, o abastecimento sustentado de água para consumo humano, foram os objetivos primários que presidiram à sua construção. Nos últimos anos, a Albufeira da Aguieira passou também a ser um local muito procurado para atividades de turismo e de lazer.
É uma barragem do tipo “Arcos múltiplos”, tem 89 metros de altura e o comprimento do coroamento é de 400 metros. Está equipada com três grupos gerador/ bombas reversíveis e uma subestação adjacente, correspondendo a uma potência total instalada de 336 MW e a uma produtividade média anual de 209,9 GWh.

“Pellets Power” produz bioenergia com recurso à floresta


Seguiu-se a visita à empresa Pellets Power, situada no Pólo Industrial do Freixo, concelho de Mortágua. Trata-se de uma empresa que se dedica à produção de “pellets”, um granulado de madeira altamente densificado, 100% natural e com um elevado poder calorífico.
A matéria-prima é constituída exclusivamente por partículas de madeira provenientes das florestas ardidas, rolaria, estilha de madeira e resíduos florestais (biomassa), ou seja, tudo o que não tem aproveitamento comercial no setor industrial da madeira.
A empresa começou a laborar em 2008 e praticamente toda a produção é para exportação, sobretudo para os países do Centro e Norte da Europa, quer para aquecimento doméstico quer para alimentação de centrais elétricas.
Para além do contributo dado às exportações nacionais, ao fazer o aproveitamento e valorização da parte da madeira que fica depositada nas matas, a empresa está também a contribuir para a limpeza das mesmas e prevenção do risco de incêndios. Ao mesmo tempo, potencia os rendimentos dos produtores florestais, foi explicado.

Os alunos tiveram assim a rara oportunidade de conhecer “por dentro” duas infraestruturas de produção de energia, que recorrem a recursos naturais e endógenos, uma com base na água e outra na floresta.

Refira-se que o Projeto “Da Escola, Agarra a Vida” promove regularmente visitas de conhecimento a empresas ou instituições, as quais têm como objetivo proporcionar aos alunos, desde cedo, um contacto direto com as profissões e o mundo do trabalho, que lhes permita obter uma melhor ideia e perceção do que realmente se faz, em termos de funções, processos de trabalho, rotinas, responsabilidades.
No caso particular destas duas visitas, acabou até por ter um duplo efeito, tendo constituído também uma boa aula prática sobre questões ambientais e sustentabilidade energética.










Este artigo veio de www.cm-mortagua.pt
https://www.cm-mortagua.pt