Feira à moda antiga animou Praça do Município

Data: 2011-04-18
Fonte: Câmara Municipal de Mortágua


A Praça do Município voltou a ser palco, no passado domingo, de uma “Feira de Usos e Costumes de Outrora”, organizada pelo Rancho Folclórico e Etnográfico de Vale de Açores. Na sua sexta edição, esta mostra de tradições contou com a presença de sete grupos folclóricos e etnográficos do concelho e da região: Rancho Folclórico e Etnográfico de Vale de Açores, Rancho Folclórico e Etnográfico “Os Irmânicos” da Marmeleira, Grupo Etnográfico da Região de Coimbra, Rancho Folclórico de Penacova, Grupo Folclórico e Etnográfico de Zagalho e Vale do Conde, Rancho Folclórico de Gouveia e Rancho Folclórico e Etnográfico da Pampilhosa.

Ao longo das alamedas da Praça estavam montadas bancas com uma grande variedade de produtos, tendo como característica comum a confecção caseira ou artesanal. Produtos da terra, queijo da serra, enchidos, compotas, mel, pão caseiro de trigo, licores, jeropiga, aguardente de zimbro, doçaria caseira e conventual, além de artesanato tradicional.

Os doces estiveram representados com as barrigas de freira, as queijadas, os suspiros, os pastéis de Tentúgal, os coscorões, as filhoses, o típico Bolo de Páscoa ou Bolo de Cornos, tradicional do concelho de Mortagua e desta época em especial.

As ervas de chá era outro dos produtos em abundância nas bancas, desde os chás mais conhecidos, de tília, carqueja, hipericão, até aos menos conhecidos, como o “fel da terra”, “o sempre noiva“.
“São ervas selvagens, que recolhemos nos campos. Os nossos avós tinham sempre em casa estas ervas para curar as maleitas, porque não tinham acesso aos médicos e então serviam-se do que dava a natureza. Ainda hoje são utilizadas estas mezinhas”, contou-nos Ana Cristina, directora do Rancho da Pampilhosa.

No artesanato destacavam-se os xailes de merino, os lenços de seda, os cachenés, os tapetes de almalaguês. O Sr. Henrique, natural de Macieira, trouxe a sua arte da cestaria, mostrando “ao vivo” como se dobra o vime e se fabricam cestos e poceiros.
Os visitantes podiam também almoçar no próprio espaço da Feira. Da ementa constavam duas iguarias da gastronomia tradicional, rojões com migas e bacalhau à lagareiro.

Ao final da tarde o ambiente animou-se ainda mais, com uma tarde de folclore, em que alguns dos grupos presentes exibiram danças e cantares da sua região.

Um dia solarengo, muito aprazível, contribuiu para que muita gente passasse pelo espaço da feira, fosse por mera curiosidade ou para comprar produtos, mas todos (re)vivendo o sentimento de um tempo já ido, em que à ligação à terra e às tradições era muito forte.

O evento contou mais uma vez com o apoio do Município de Mortágua.










Este artigo veio de www.cm-mortagua.pt
https://www.cm-mortagua.pt