Rali de Mortágua vai decidir o Campeão Nacional de Ralis.

Data: 2021-10-26
Fonte: Câmara Municipal de Mortágua


O Rali de Mortagua, última prova do calendário deste ano do Campeonato de Portugal de Ralis, vai decidir o título do campeão nacional 2021. Na luta pelo título, Armindo Araújo (Skoda Fábia) e Ricardo Teodósio (Skoda Fábia), vão medir forças, e tentar cometer o menor número de erros possíveis, numa conjugação virtuosa de velocidade e prudência.

A prova organizada pelo Clube Automóvel do Centro, com o apoio do Município de Mortágua, realiza-se nos dias 5 e 6 de novembro, e promete ser altamente competitiva.

No passado dia 22, no Salão Nobre da Câmara Municipal de Mortágua, realizou-se a apresentação do Rali à Comunicação Social. Coube ao Diretor da prova, Luís Santos, dar conta do programa e desenho da prova, que terá algumas novidades em relação a edições anteriores. No dia 5, pelas 14h00, haverá um “shakedown”, na zona da Gândara. A competição propriamente dita decorre no dia 6, sendo constituída por duas secções, 4 Pec`s com dupla passagem, totalizando 104 km.

A prova terá partida às 9h00 e chegada prevista às 16h25, junto da Câmara Municipal de Mortágua. O Parque de Assistência funcionará no Aeródromo Municipal e o Secretariado no Centro de Animação Cultural.

Luís Santos explicou que este ano, por motivo dos condicionamentos da pandemia, não haverá a habitual Super-Especial. “A Super-Especial, até pela espetacularidade que tem, atrai sempre milhares de pessoas que estão concentradas num sítio limitado. Num quilómetro temos milhares de pessoas a assistir, e não quisemos correr riscos”.  “Nos troços é diferente, porque são mais de 50 quilómetros, feitos duas vezes, e há uma grande dispersão de pessoas”, explicou.

Mesmo sem Super-Especial, não vão faltar razões para ver o rali, até porque haverá algumas novidades, como novos troços: “Este rali vai ter muitas zonas que são inéditas, que nunca foram feitas no passado, e que são zonas muito espetaculares”, adianta. Uma das Pec´s (Felgueira) integrou o Rali de Portugal, realizado em maio.

As questões de segurança continuam a ser uma prioridade para a organização, que tem envolvidas mais de 300 pessoas no apoio à prova. Entre as medidas conta-se a criação de zonas de acesso que vai permitir às pessoas dirigirem-se até aos troços. “Nós não chamamos zonas espetáculo mas zonas de acesso, são zonas onde as pessoas podem estacionar e depois deslocarem-se para o respetivo troço, também para haver alguma dispersão do público”. A Organização vai produzir um guia a explicar como as pessoas podem chegar aos troços.

O Rali de Mortágua esteve apontado inicialmente para maio, e depois para julho, mas devido à pandemia e à época crítica dos incêndios, foi adiado para novembro, a fechar o calendário. Uma alteração que acabou por valorizar a prova de Mortágua, ao colocá-la na rota do título. “É mais um aliciante do Rali de Mortágua, que se prevê muito competitivo, sendo mais um motivo de interesse para assistir ao rali, seja por parte do público, seja por parte da Comunicação Social”, destaca Luís Santos.

O Diretor da prova informou que o Rali de Mortágua irá também servir para prestar uma homenagem a duas pessoas de grande importância para o automobilismo nacional e em particular para o Clube Automóvel do Centro, referindo-se a Claudino Romeiro e José Regêncio. O troféu para o vencedor absoluto da prova será dedicado à sua memória.      

Luís Santos agradeceu o empenho e apoio do Município, criando condições para voltar a trazer o rali até Mortágua.

Em nome do Município, o presidente da Câmara, Ricardo Pardal, agradeceu a confiança depositada pelo CAC e destacou a “parceria de longa data” entre as duas entidades na organização do Rali de Mortágua. “É com prazer que recebemos mais uma edição do Rali de Mortágua, temos um dos melhores ralis do campeonato, as classificações dos últimos anos assim o dizem”.

Ricardo Pardal referiu-se às vicissitudes forçosas (sobretudo a pandemia) que empurraram o rali para o fecho do calendário, “mas que trouxe-nos este aliciante do campeão nacional de ralis ser decidido em Mortágua”. “É a cereja em cima do bolo, dígamos assim, e a expetativa é que seja um excelente rali”, afirmou.

O presidente da Câmara enalteceu o investimento da organização na segurança da prova. “Queremos que o público venha a Mortágua, que se divirta, mas sempre com a preocupação do distanciamento e da devida proteção. Não nos podemos esquecer que embora estejamos na última fase do desconfinamento, ainda temos a realidade pandémica, e todos os cuidados são poucos”.  

A finalizar, formulou o desejo “que tudo corra da melhor forma, que o rali  seja mais uma vez um emblema de Mortágua em termos da visibilidade para a prática dos desportos motorizados, e também um bom motivo para nos visitarem e terem contacto com a nossa natureza, as nossas gentes e costumes, a nossa gastronomia”.

Além do Campeonato de Portugal de Ralis, o Rali de Mortágua será ainda pontuável para o Campeonato de Portugal 2RM (Duas Rodas Motrizes), Campeonato Portugal Júnior de Ralis, Taça de Portugal de Ralis RC2N e Campeonato Centro de Ralis.









Este artigo veio de www.cm-mortagua.pt
https://www.cm-mortagua.pt