Concerto comemorativo dos 125 anos da Filarmónica de Mortágua

Data: 2021-09-29
Fonte: Câmara Municipal de Mortágua


 

 

A Filarmónica de Mortágua assinalou o seu 125º aniversário com um concerto comemorativo realizado no passado dia 25, no Centro de Animação Cultural.

Fundada em 26 de setembro de 1896, a Filarmónica de Mortágua é a coletividade mais antiga do concelho.

Foi um concerto especial pela data histórica e pelo regresso ao contacto com o público após 18 meses de interrupção, devido às contingências da pandemia covid. Um dia importante para a Filarmónica, mas também para o público, que já tinha saudades destes momentos de partilha.

Sentiu-se a emoção de voltar a assistir a um concerto da Filarmónica, e ao regresso a uma normalidade da vida cultural e social que paulatinamente se vai instalando no nosso quotidiano.

O concerto ficou também marcado pela estreia em palco de 13 novos elementos e a entrega de instrumentos a 10 elementos que estão a frequentar a Escola de Música. Orgulhosa da sua história e do seu legado, a Filarmónica de Mortágua está de olhos postos no futuro.

O presidente da Assembleia Geral da coletividade, José Maria Vicente, subiu ao palco para proceder à colocação da fita comemorativa dos 125 anos no estandarte da Filarmónica. Cantaram-se os parabéns à Filarmónica, fizeram-se agradecimentos (ao Município, às Juntas de Freguesia, às Empresas apoiantes) e entregaram-se lembranças alusivas à comemoração.

O presidente da Câmara Municipal, Júlio Norte, foi convidado a dirigir algumas palavras de circunstância. Júlio Norte felicitou a Banda por ter chegado a esta provecta e bonita idade, 125 anos, e recordou os altos e baixos que a coletividade viveu ao longo da sua existência, lembrando nomeadamente a reativação da Banda em 1987 por iniciativa de um grupo de antigos músicos e amigos.

Lembrou outros tempos difíceis, mais recentes, referindo-se à pandemia, para sublinhar a carga simbólica deste regresso da Filarmónica aos concertos, dizendo: “Voltarem ao palco, estarem aqui com uma dignidade extraordinária e a proporcionar um brilhante espetáculo, tem um significado especial. Hoje é um dia memorável para a Filarmónica, para o Município e para os Mortaguenses.” Referiu que teve o privilégio de acompanhar a vida da Filarmónica desde a sua reativação até à atualidade, e estando em final de mandato deixou uma palavra sentida de gratidão: "Estar aqui neste momento em que a Filarmónica assinala 125 anos é porventura a melhor prenda que posso levar no fecho de um ciclo político”, afirmou.

Júlio Norte homenageou todos aqueles que ajudaram a fazer o percurso da Filarmónica nestes 125 anos e evocou os nomes dos Maestros Adriano Matias, Nuno Garrido e Ricardo Vicente (atual Maestro), que ao longo das últimas três décadas (34 anos mais precisamente) sucederam na direção artística da Banda com enorme dedicação e competência.

E salientou que a Filarmónica de Mortágua sendo uma escola de música, tem sido também uma “escola de valores e de cidadania, formando homens e mulheres”. E que a estreia dos 13 jovens neste concerto e a entrega de instrumentos a 10 novos elementos da Escola de Música, “é uma sinal de vitalidade da Filarmónica e de esperança no futuro”.

No final formulou votos das maiores felicidades à Coletividade, deixando a promessa de que na condição de cidadão vai continuar a estar presente nos concertos da Filarmónica.

No dia 26, dia oficial da fundação, na Igreja Matriz de Mortágua teve lugar uma Missa de celebração e de homenagem a todos aqueles que ao longo destes 125 anos dedicaram parte da sua vida à Filarmónica.

 

Parabéns à Filarmónica de Mortágua.









Este artigo veio de www.cm-mortagua.pt
https://www.cm-mortagua.pt