Modernização da Linha da Beira Alta. Estação de Mortágua vai sofrer profunda requalificação

Data: 2020-12-14
Fonte: Câmara Municipal de Mortágua


Foi consignada no passado dia 10 a empreitada de modernização do troço Pampilhosa – Santa Comba Dão, Linha da Beira Alta. Com um investimento 74,7 milhões de euros e um prazo de execução de 810 dias, a obra que agora se inicia contribuirá para o aumento da capacidade do transporte de mercadorias.

A intervenção que agora se vai iniciar no troço entre Pampilhosa e Santa Comba Dão, além de assegurar a modernização do mesmo, irá ligar a um troço de nova linha - a Concordância da Mealhada - que permitirá uma movimentação do serviço ferroviário no sentido Norte-Sul direta da Linha do Norte para a Linha da Beira-Alta, ganhando assim a rede ferroviária nacional um aumento de capacidade na sua gestão.

Entre as obras a executar na área do concelho de Mortágua destacam-se a reconfiguração e remodelação da Estação de Mortágua e a supressão da passagem de nível do Coval, além de intervenções de reforço e modernização das infraestruturas da via.

 

A empreitada prevê, entre outros, os seguintes trabalhos:

. Intervenção em 34 km de via;

. Substituição integral da superestrutura de via com utilização de travessas monobloco polivalentes em betão e carril 60 E1;

. Alteração do layout da Estação de Mortágua para cruzamento de comboios de 750 metros de comprimento e otimização das condições de exploração;

. Remodelação da Estação de Mortágua e apeadeiros, incluindo alteamento, alargamento e prolongamento de plataformas, edifícios e acessibilidades;

. Reabilitação/reforço de túneis (10) e pontes (8);

. Supressão de passagens de nível (Luso e Mortágua) e construção dos respetivos desnivelamentos;

. Construção de ligação direta eletrificada entre a Linha do Norte e a Linha da Beira Alta, a Norte da Estação da Pampilhosa, com 3,2 km;

. Construção de Estação Técnica com linha de resguardo com 820 m entre estacas limite para funcionar como “buffer” de entrada e saída da Linha do Norte;

. Construção de Viaduto ferroviário com cerca de 1,2 km;

. Construção de infraestruturas de suporte à componente de sinalização e telecomunicações e implementação de RCT+TP.

Com a conclusão das intervenções previstas no âmbito da modernização da Linha da Beira Alta, prevê-se alcançar uma redução de mais de 120 milhões de tonCO2eq até 2046, aumentando em cerca de 20% o número de comboios a circular por ano e de 26% do número de toneladas/ano transportadas por esta Linha.

A Linha da Beira Alta, principal ligação ferroviária à Europa, faz parte da rede “core” da Rede Transeuropeia de Transportes (RTE-T) e integra o Corredor Ferroviário de Mercadorias nº 4.

No âmbito do Plano de Investimentos Ferrovia 2020, a Ligação Porto/Aveiro – Vilar Formoso - através da Linha da Beira Alta - é definida como um projeto prioritário que pretende reforçar a ligação por caminho-de-ferro do Norte e Centro de Portugal com a Europa, viabilizando um transporte ferroviário de mercadorias eficiente, potenciando assim o aumento da competitividade da economia nacional.

A “Empreitada do troço Pampilhosa – Santa Comba Dão e Construção da Concordância da Mealhada” integra a Ação 2015-PT-TM-0395-M - Ligação Ferroviária Aveiro-Vilar Formoso no Corredor Atlântico: Linha da Beira Alta - Pampilhosa-Vilar Formoso -, aprovada ao abrigo do Programa CEF - Mecanismo Interligar a Europa -, com uma taxa de cofinanciamento de 85%.

Supressão da passagem de nível do Coval

O presidente da Câmara Municipal, Júlio Norte, congratula-se com a consignação da empreitada e afirma que valeu a pena lutar pela modernização da Linha da Beira Alta, enaltecendo a ação dos autarcas da CIM-RC e Dão-Lafões,  “que souberam connosco  interpretar os interesses da região e do país”. Júlio Norte classifica como estruturante a intervenção a levar a cabo no troço Pampilhosa - Santa Comba Dão, quer ao nível da modernização das infraestruturas da via quer do aumento da capacidade de transporte ferroviário de mercadorias, e lembra que a Linha da Beira Alta é a principal ligação ferroviária de escoamento das exportações para a Europa, sendo fundamental para o desenvolvimento e a competitividade da economia regional e nacional.

Júlio Norte salienta a importância do conjunto de obras que vão ser executadas em toda a extensão da via férrea que atravessa o concelho, mas destaca a supressão da passagem de nível do Coval e a construção do respetivo desnivelamento. “Essa supressão tem um significado simbólico muito grande, porque é a única passagem de nível que resta no concelho e estamos satisfeitos por a Infraestruturas de Portugal contemplar a sua eliminação no âmbito da execução desta empreitada”. Júlio Norte sublinha que esta obra “representa a concretização de uma antiga reivindicação e de um anseio do Município e dos Mortaguenses”.

E lembra que esta passagem dá acesso ao Santuário do Cabeço do Senhor do Mundo e ao Cemitério Municipal, constituindo um forte constrangimento em termos de segurança e livre circulação de pessoas: “o sistema automático reduz o risco de acidentes mas não os impede, as pessoas têm sempre medo que possa haver alguma falha técnica, uma distração. Além disso, é uma situação que não se coaduna com as exigências dos tempos modernos”.    

  

 









Este artigo veio de www.cm-mortagua.pt
https://www.cm-mortagua.pt