Workshop de máscaras dirigido pela artista plástica e cenógrafa Marta Fernandes

Data: 2019-01-15
Fonte: Câmara Municipal de Mortágua


Está a decorrer um Workshop de máscaras, dirigido por Marta Fernandes, artista plástica e cenógrafa. Promovido pelo Município, o Workshop proporciona uma primeira abordagem e iniciação às técnicas de construção de máscaras, sendo frequentado por 12 participantes.

Natural de Mortágua, Marta Fernandes estudou na Faculdade de Belas Artes do Porto, onde tirou Licenciatura em Escultura. Em 2004 frequenta o curso de Cenografia do Espaço Cenográfico coordenado pelo cenógrafo e figurinista J. C. Serroni em São Paulo – Brasil. Em 2007 participou no workshop “I can fly, how to fly people in the entertainment” coordenado por Joseph Champelli ZFX Flying Effects e “Mooving castle of Bunraku” coordenado por Noriuki Sawa na Quadrienal de Cenografia e Arquitectura Teatral de Praga, República Checa. Em 2009 conclui a especialização de Cenografia na Faculdade de Arquitectura da Universidade Técnica de Lisboa, frequenta o European Intensive Project “A Theatrical City – private life / public space” na Ecole Nationale Supérieure d’Architecture de Paris – La Villette, Centre National de La Danse em Paris e os workshops de cenografia com J. C. Serroni e Raymond Sarti na FA/UTL.

No seu percurso como artista plástica, participou em várias exposições das quais se destacam: em 2002, “Caligrafias” – exposição individual de desenho no Festival D’Agosto em Maputo (Moçambique); em 2003 na XII Bienal Internacional de Vila Nova de Cerveira – instalação coletiva do grupo Balão Dar Quente, “Pano para mangas” – exposição de fotografia do coletivo Identidades tendo sido apresentada em Recife (Brasil) e Mindelo (Cabo Verde); “Convivendo com José Craveirinha” – exposição coletiva de desenho no Instituto Camões Centro Cultural Português integrada no III Festival Internacional de Teatro d’Agosto em Maputo (Moçambique). Em 2011 realizou a escultura de homenagem ao ator João d’Ávila para o Jardim da J. F. de Carnide em Lisboa.

Enquanto cenógrafa foi residente durante quatro anos na companhia de teatro Trigo Limpo teatro ACERT onde desenvolveu trabalho de criação e conceção de cenários e adereços em vários espetáculos. Atualmente trabalha como freelancer e no seu percurso trabalhou com encenadores como José Rui Martins, Pompeu José, José Caldas, Júnior Sampaio, Maria João Trindade, Maria Simões, Filipa Mesquita, Clara Ribeiro, Maria do Céu Guerra, Rita Lello, Pedro Cardoso e Filipe La Féria.

Desde 2004 tem desenvolvido vários workshops de artes plásticas e cenografia direcionados a crianças e adultos.

Marta Fernandes refere que este workshop pretende ser uma iniciação à modelação de máscaras, podendo constituir o ponto de partida e incentivo para aprender mais sobre esta técnica. E explica: “É uma técnica que pode ser usada nas máscaras como noutro tipo de construções, e para os mais diversos fins, seja a representação, as artes performativas, ou mesmo a decoração”.

Todos os participantes falam de uma experiência interessante, útil e enriquecedora, em termos de aprendizagem, além dos momentos agradáveis de convívio e trabalho em grupo.

 

Depoimentos

Sónia Gonzalez: “Estou a achar muito interessante. Já tinha experimentado esta técnica, mas não desta maneira. Sou professora de Educação Visual e Tecnológica, o meu objetivo é aprender novas técnicas e aplicá-las nas aulas”.

João Carlos: “Estou a gostar bastante. Era uma vontade que eu tinha, desde há algum tempo, por estar também ligado ao teatro, de um dia poder aplicar estas técnicas na construção de cenários e adereços”.

Anabela Jorge: “Está a ser uma experiência ótima. Gosto muito deste tipo de trabalhos ditos manuais, também já andei na pintura. Além disso, estou ligada ao teatro, é bom conhecer estas técnicas, poderá ser útil para uma peça”.

Fátima Reis: “Estou a adorar a experiência. Já tinha feito algo parecido aqui há uns anos, um workshop sobre técnica da pasta de papel, e também gostei muito. Até agora não achei difícil, também temos uma excelente formadora, isso ajuda muito”.

 

 

 









Este artigo veio de www.cm-mortagua.pt
https://www.cm-mortagua.pt