Inauguradas obras de requalificação do Centro de Saúde

Data: 2018-10-17
Fonte: Câmara Municipal de Mortágua


Terá sido certamente um dos últimos atos públicos do Ministro da Saúde, entretanto demissionário, no âmbito da remodelação governamental. Adalberto Campos Fernandes inaugurou no passado dia 12, as obras de requalificação do Centro de Saúde de Mortágua, que teve por base uma candidatura no âmbito da CIM Região de Coimbra e uma parceria estabelecida entre o Município e a ARS do Centro.

Na receção ao membro do Governo marcaram presença o Presidente da Câmara Municipal, Vereadores, Deputados da Assembleia da República eleitos pelo Círciulo de Viseu, o presidente do Conselho Diretivo da Administração Regional de Saúde do Centro, Dra. Rosa Reis Marques, o presidente do Instituto Português do Sangue e da Transplantação, Dr. João Paulo de Almeida e Sousa, o Coordenador do Agrupamento dos Centros de Saúde do Baixo Mondego, Dr. Carlos Ordens, o coordenador da UCSP Juiz de Fora, Dr. Leandro Fabião, o presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar Tondela-Viseu, Dr. Cílio Correia, além do corpo médico, de enfermagem e administrativo da unidade, bem como antigos médicos e diretores do Centro de Saúde de Mortágua. Esteve ainda presente uma delegação dos Bombeiros Voluntários de Mortágua.

Já ano interior do edifício, o Ministro e o Presidente da Câmara descerraram uma placa que assinala esta obra, da maior importância pra o bem-estar dos utentes, bem como para uma melhor prestação de serviço por parte dos profissionais que ali desempenham funções. Seguiu-se a visita às instalações, orientada pelo coordenador da UCSP Juiz de Fora, e durante a qual o ministro pôde conversar com profissionais e utentes.

Tratou-se de uma requalificação estrutural de grande amplitude, que envolveu melhoramentos ao nível da cobertura (remoção e substituição do telhado de fibrocimento), impermeabilização, sistema de climatização (aquecimento e arrefecimento), coberturas exteriores, pintura geral do edifício, com o objetivo de garantir a durabilidade e funcionamento eficiente das instalações e equipamentos, com os inerentes benefícios na prestação dos cuidados de saúde à população.

O investimento, ligeiramente superior a 100 mil euros, foi apoiado pela Câmara Municipal na parte não comparticipada pela candidatura ao Programa Operacional Regional do Centro 2020.

A Câmara Municipal teve ainda a seu cargo a submissão da candidatura, a promoção do concurso de execução e a fiscalização da obra.

O Presidente da Camara, Júlio Norte, referiu que a intervenção foi determinante para transformar o centro de saúde numa unidade “mais eficiente, mais moderna e com melhores condições de resposta aos utentes, e proporcionar melhores condições de trabalho e segurança a todo o pessoal médico, enfermagem e administrativo”.

“Fizemos o que nos era possível e o que o nosso orçamento nos permitia, penso que valeu a pena, hoje os nossos utentes passam a ter melhores condições bem como todos os trabalhadores desta instituição”, disse. E enalteceu o bom entendimento que houve entre a ARS Centro, Município de Mortágua e o empreiteiro, que permitiu que a obra fosse executada sem paralisações ou interrupções de funcionamento do Centro de Saúde.

Segundo Júlio Norte, trata-se de um bom exemplo de como uma boa descentralização pode resolver grande parte dos problemas, com uma resposta mais rápida e eficiente, e que na sua opinião pode ser seguido noutras áreas, desde que haja a transferência para os Municípios do respetivo pacote financeiro.

Júlio Norte considerou fundamental a garantia de um quadro médico estabilizado, por forma a assegurar um serviço de saúde pública que dê resposta eficaz e atempada às necessidades e anseios das pessoas. E reiterou a colaboração do Município no funcionamento da Unidade Móvel de Saúde e no apoio domiciliário (inclui tratamentos de enfermagem e reabilitação), que são serviços de proximidade destinados sobretudo à população mais idosa, que tem mais dificuldades de deslocação ao Centro de Saúde.

O Presidente da Câmara referiu a aposta do Município na promoção do desenvolvimento económico do concelho, e consequente criação de emprego, mas sublinhou que a acessibilidade e qualidade dos serviços de saúde é igualmente um fator primordial para a qualidade de vida das pessoas, contribuindo para a sua fixação.

Júlio Norte aproveitou o momento para prestar homenagem a um conjunto médicos mortaguenses que durante anos foram o sustentáculo da saúde no concelho, agradecendo o seu trabalho e dedicação em prol das nossas gentes.

O Ministro da Saúde considerou “um bom exemplo” esta parceria entre a Administração Central e Local que permitiu concretizar esta requalificação das instalações. “O futuro passa por nós transferirmos cada vez mais responsabilidades. O orgulho com que nos apresentam estas instalações, o cuidado com que zelam do seu bom funcionamento, significa que a proximidade faz a diferença”, afirmou. Segundo Adalberto Campos, a proximidade “permite conhecer as pessoas pelo nome, saber quais as necessidades de cada um”, significando mais humanização na prestação dos cuidados de saúde.

E manifestou a sua satisfação por ver um corpo clínico constituído por médicos e enfermeiros muito jovens, no Interior do país, dizendo a propósito: “os profissionais têm de desejar trabalhar nos locais por vontade própria, por gostarem de cá viver e aqui se desenvolverem profissionalmente, por sentirem que estão numa zona que lhes é favorável para o seu projeto de vida, mesmo que não sejam naturais desses locais”. Mas para tal, adiantou, é preciso investir na modernização de infraestruturas e equipamentos e criar condições para acolher esses profissionais.

Adalberto Campos afirmou que os profissionais de saúde são muitas vezes verdadeiramente heróis em condições muito difíceis. E concluiu: “Nós temos em Portugal um dos melhores sistemas de saúde do mundo, e não o podemos estragar. Temos ao invés, todos os dias, melhorá-lo cada vez mais”.

Durante a visita foi abordada a possível instalação do serviço de Saúde Oral nos cuidados primários da UCSP Juiz de Fora (já teve esse serviço no passado), tendo sido assumida pelas partes envolvidas, Ministério da Saúde, ARS Centro e Município, a vontade de estabelecer uma parceria /protocolo com vista à concretização dessa nova valência.

Segundo referiu o coordenador da UCSP, Leandro Fabião, a unidade já possui instalações e algum equipamento para o efeito, sendo tudo uma questão de afetação de recursos humanos e de aquisição de equipamentos mais modernos, para que o referido serviço venha a ser uma realidade.

 









Este artigo veio de www.cm-mortagua.pt
https://www.cm-mortagua.pt