Ministro do Planeamento e das Infraestruturas inaugurou ampliação do Parque Industrial (1ª e 2ª fases)

Data: 2018-10-11
Fonte: Câmara Municipal de Mortágua


O Ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, inaugurou, no passado dia 10, a obra de ampliação do Parque Industrial Manuel Lourenço ferreira, respeitante à 1ª e 2ª fase. Na cerimónia marcaram ainda presença o Secretário de Estado do Desenvolvimento e Coesão, Nelson de Souza, a Presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro, Ana Abrunhosa, Autarcas, representantes de Instituições Locais, Empresários e mortaguenses que quiseram associar-se ao ato.

O Ministro Pedro Marques e o Presidente da Câmara Municipal, Júlio Norte, descerraram uma placa que ficará a marcar um dia da maior importância para o concelho.

“Ao inaugurar este Parque Industrial estamos a criar infraestruturas que vão servir de base a projetos inovadores e com grande impacto na nossa economia, gerando riqueza e criando postos de trabalho”, afirmou o Presidente da Câmara, na cerimónia inaugural.

A ampliação do Parque Industrial representa o segundo maior investimento de sempre no município e o maior em termos globais, e traduz uma aposta forte no desenvolvimento económico, no empreendedorismo e nos empresários. As novas unidades industriais faturam já qualquer coisa como 268 milhões de euros, sendo que 80% se destina à exportação. “Quando todas as empresas estiverem construídas, teremos um investimento superior a 100 milhões de euros e a criação de mais de 600 postos de trabalho”, referiu. E adiantou que a procura de lotes superou as expetativas iniciais, de tal forma que o Município vai avançar para a 3ª fase de ampliação.

Júlio Norte salientou o nível de inovação e a tecnologia avançada de algumas empresas instaladas ou a instalar brevemente, tais como Vidraria de Mortágua, Basi, Ceragês, Grupo Testa, Endiprev, referindo ainda que as outras empresas de menor dimensão que vão instalar-se no Parque “são também importantes para o tecido económico do concelho”. 

Júlio Norte falou de “empresários de excelência, determinados, sem medo de correr riscos e sempre otimistas, mesmo na adversidade”, lembrando os anos da crise e da “troika”, a que se somou a tragédia de outubro do ano passado, que atingiu duramente algumas empresas do concelho. Duas delas, a Morpneus e a Pellets Power, tiveram a sua reabertura oficial neste mesmo dia, tendo o Ministro visitado as novas instalações.

Afirmou que o arrojo e a determinação dos empresários e do Município, levou a que o concelho tenha hoje a taxa de desemprego mais baixa de sempre e das mais baixas do país, e apontou o desafio a vencer: “estamos agora a iniciar um novo processo para a captação de mão-de-obra e a tentativa de retorno dos mortaguenses que estão espalhados pelo mundo, criando condições para o seu regresso à terra”.

O Presidente da Câmara dirigiu palavras de agradecimento e reconhecimento à presidente da CCDRC, Ana Abrunhosa, que foi “madrinha” do lançamento da 1ª pedra da ampliação do Parque, por todo o seu apoio e empenho na concretização desta obra, bem como no processo de apoio às pessoas e reconstrução de habitações, na sequência dos incêndios de outubro do ano passado. E afirmou que o Município saberá reconhecer, publicamente e em data oportuna, esse apoio.

Júlio Norte deixou também palavras de profunda gratidão e reconhecimento ao Ministro Pedro Marques, pelo seu empenhamento no processo de transformação do IP3 em autoestrada, deixando esta obra de ser mais uma promessa para passar a ser uma realidade a curto prazo. Aproveitou para informar que as faixas de aceleração e desaceleração dos nós de Mortágua e a iluminação pública, que não constavam no projeto inicial, já foram assumidas pelas Infraestruturas de Portugal. E sensibilizou o Ministro para a necessidade de se melhorar o acesso do IP3 ao Parque industrial, face ao arranque das obras naquele itinerário e ao aumento de entrada e saída de viaturas do Parque Industrial. “Com o volume de tráfego atual, aumentado pelo conjunto destas obras, este troço rapidamente entra em rutura”, avisou.

O Ministro Pedro Marques referiu que ver culminado o trabalho e esforço dos empresários que reconstruiram a sua atividade económica ao longo deste ano, “é um motivo de enorme satisfação”. Pedro Marques prestou homenagem aos empresários que tiveram força e coragem de acreditar na reconstrução das suas empresas. E deu como exemplo os empresários da Morpneus e da Pellets Power, que tiveram perda total das instalações mas decidiram não desistir, mantiveram os trabalhadores e iniciaram a recuperação das suas empresas. “Lembro-me de ter visitado estas duas empresas e de ver que naquela altura não tinham outra decisão que não fosse reconstruir a sua atividade económica”.

Pedro Marques destacou ainda a tenacidade e o empenho da CCDRC, da sua presidente e respetivas equipas de trabalho, dos autarcas, e concretamente do Presidente da Câmara de Mortágua, no apoio aos empresários e às pessoas que foram afetadas pelos incêndios de outubro do ano passado. 

“Sei como encontrei o Presidente da Câmara de Mortágua e outros autarcas da região, profundamente devastados com o que tinha acontecido, às suas gentes, às suas terras, mas também sei da sua força e do seu empenho de reerguer Mortágua e a região”, disse. 

Ao mesmo tempo surgiram novas empresas e mais investimento: “Estas novas empresas que estão aqui a instalar-se, estes mais de 600 postos de trabalho potenciais, alguns deles já reais, são também uma imagem de futuro do concelho de Mortágua”. Destacou o facto destas novas empresas precisarem de recrutar centenas de colaboradores, uma situação bem diferente do passado, em que muitas pessoas saíram do país por falta de oportunidades de emprego.

O membro do Governo destacou o papel desempenhado pelo Programa de Valorização de Áreas Industriais, criado há pouco mais de um ano, ao nível da estruturação de zonas industriais. “O que vemos neste parque e o que nos apresentou o Presidente da Câmara relativamente às expetativas de investimento que aqui serão ou já estão fixados, e as centenas de postos de trabalho que aqui serão criados, é  a melhor demonstração de que foi uma boa aposta, na medida em que permite multiplicar em centenas de milhões de euros o investimento nestas regiões de coesão”.

"Vamos continuar a trabalhar com a certeza de que valeu a pena apoiar o esforço e a intensidade de municípios como Mortágua, e de tantos e tantos empresários e trabalhadores que não desistiram  do concelho de Mortágua, da região Centro e de Portugal", concluiu.

Relativamente ao IP3, referiu que o concurso da obra está a decorrer e que a adjudicação deverá ocorrer nos próximos meses: “no 1º semestre de 2019 cá estaremos para testemunhar que a obra do IP3 é uma realidade”.

 









Este artigo veio de www.cm-mortagua.pt
https://www.cm-mortagua.pt