Município lançou campanha de sensibilização

Data: 2006-06-22
Fonte: Câmara Municipal de Mortágua


Protecção da Floresta


O Gabinete Técnico-Florestal da Câmara Municipal de Mortágua promoveu uma campanha de divulgação e sensibilização para a defesa da floresta do concelho.

Folhetos informativos foram distribuídos, via correio, por toda a população, com o objectivo de alertar os cidadãos para as normas e cuidados a observar para prevenir os riscos de incêndio, durante o chamado período crítico, que são os meses de Verão. Os proprietários dos terrenos são alertados, nomeadamente, para o cumprimento rigoroso dos deveres legais previstos no Dec-Lei nº 156/2004 de 30 de Junho, que entre outras obrigações, estabelece que os proprietários devem “proceder à limpeza de matos num raio mínimo de 50 metros à volta de habitações, dependências, estaleiros, armazéns, oficinas ou outras instalações”. Durante o mesmo período vigoram medidas preventivas que respeitam, por exemplo, à proibição de queimadas em espaços florestais ou rurais, à proibição de fumar ou fazer lume no interior da floresta ou mesmo nas vias que as delimitam ou atravessam.
São também deixados alguns conselhos para quem tem casa junto ou no interior de espaços florestais, que têm a ver sobretudo com a limpeza das zonas envolventes, a não acumulação de materiais combustíveis em redor das habitações, a existência de reservatórios de agua à mão em caso de emergência, etc.
Há também conselhos específicos para os produtores e empreiteiros florestais, que pelo facto de trabalharem e circularem no interior da floresta, devem ter cuidados especiais. Esses cuidados dizem respeito à remoção das madeiras e ramadas dos caminhos e bermas, aos locais escolhidos para depósito de madeiras no interior da mancha florestal, utilização de combustíveis, acumulação de óleos, existência de dispositivos de retenção de faúlhas nos equipamentos, não obstrução das vias de passagem, utilização de extintores.

Campanha visa também sensibilizar a população escolar

Para além deste folheto para a população em geral, foi produzido um outro destinado especificamente para a população escolar ou jovem. Trata-se de um folheto redigido numa linguagem adequada a este escalão etário e com ilustrações animadas, estilo banda desenhada, que visa alertar sobretudo para os perigos das brincadeiras com o fogo. São os cuidados a ter com os fósforos, os isqueiros, as velas, as fogueiras mal apagadas, os lanches ao ar livre, a proximidade do fogo aos materiais combustíveis, como madeira, papel, roupa. Conselhos para seguir atentamente e passar aos amigos e aos pais, porque também há conselhos dos filhos para os pais.
Estes folhetos servem para reforçar o alerta, despertar a atenção, numa altura em que se aproxima o período mais sensível aos fogos florestais. São essencialmente conselhos úteis para evitar o risco de incêndios, que em muitos casos acontecem ainda por simples negligência ou descuido. Para que a floresta seja protegida é fundamental que as pessoas cumpram as normas legais, sigam as instruções e recomendações e passem a mensagem, fazendo alguma pedagogia sobre aqueles que possam estar menos atentos ou sensíveis a estes procedimentos.
A defesa da floresta é uma tarefa de todos. Lembrar e alertar para os riscos de incêndios na floresta nunca é demais. Uma árvore demora dezenas de anos a atingir a maturidade e numas horas pode-se destruir uma vida inteira!










Este artigo veio de www.cm-mortagua.pt
https://www.cm-mortagua.pt