Biblioteca Municipal expõe Mostra Fotográfica de Varela Pècurto

Data: 2016-06-23
Fonte: Câmara Municipal de Mortágua


Na Biblioteca Municipal está patente ao público uma Mostra Fotográfica da autoria de Varela Pécurto,fotógrafo profissional e decano da Comunicação Social em Coimbra.

Eduardo Francisco Varela Pècurto nasceu em Ervedal do Alentejo, concelho de Avis, a 27 de abril de 1925.

Começou a trabalhar em fotografia em Évora, com David Freitas e depois com Eduardo Nogueira.

Em 1950 fixou-se em Coimbra, tendo dirigido a secção fotográfica da Livraria Atlântida e depois a Casa Hilda como sócio-gerente, e ajudado a desenvolver o “Grupo Câmara”. Participou em salões de arte fotográfica, pelos cinco continentes, conquistando inúmeros prémios em Portugal e no estrangeiro.

Em 1954 foi distinguido com o mais importante prémio atribuído internacionalmente no âmbito da fotografia amadora de salão, o Excellence da Féderation Internationale d’Art Photographique (FIAP). L´Art Photográphique”.

Colaborou na imprensa em Coimbra, Porto e Lisboa, incluindo a desportiva, revistas, livros (em Portugal e no estrangeiro), na ilustração de capas discográficas, e publicou três obras.

Para além da sua atividade como fotógrafo profissional, Varela Pècurto trabalhou ainda 25 anos como operador de câmara correspondente da RTP, na região centro. Em 2005 foi-lhe atribuída a medalha de Mérito Cultural pela Câmara Municipal de Coimbra. A ele se devem as primeiras fotos aéreas da cidade. Desenvolveu, ao longo de várias décadas, um importante levantamento patrimonial, nomeadamente sobre os caminhos-de-ferro de Portugal. Está representado com 15 fotografias no Museu de Arte Contemporânea -Lisboa.

Varela Pècurto faz parte da história da fotografia portuguesa, tendo registado momentos únicos, de locais e gentes, que são documentos e memórias de um tempo, de um país. O autor fez doações do seu espólio fotográfico a várias Autarquias.

No dia da abertura da Mostra, os alunos da Academia Saber+ puderam conversar com o autor, que deu a conhecer o seu percurso de vida profissional e contou “estórias” sobre algumas das fotos ali expostas.

Nesta exposição, que está patente até ao dia 30 de julho, podem ser apreciadas cerca de 40 fotos, umas mais artísticas outras mais documentais, de um fotógrafo-artista que diz ter sido sempre muito feliz, porque se dedicou uma vida inteira a fazer aquilo que gostava, com alegria e paixão.

 









Este artigo veio de www.cm-mortagua.pt
https://www.cm-mortagua.pt