Apresentação da nova edição do livro “O Pelourinho de Mortágua”, da autoria do Dr. Assis e Santos

Data: 2016-05-10
Fonte: Câmara Municipal de Mortágua


 

 

A comemoração do Dia do Município foi o momento escolhido para a apresentação da nova edição do Livro «O Pelourinho de Mortágua - 800 Anos de História», da autoria do Dr. José Assis e Santos, com prefácio da Professora Doutora Maria Alegria Fernandes Marques e publicação da Quartzo Editora. Este livro teve edição original em 1940 e uma reedição em 1969, e desde então encontrava-se inacessível ao público, até surgir finalmente esta reedição.

A Academia Saber Mais também associou-se à homenagem ao Dr. Assis e Santos. António Nobre, em nome daquela Academia, fez a leitura de um texto sobre a figura de Assis e Santos, em que foram destacadas as suas qualidades pessoais, morais e intelectuais. A sua benemerência, a sua simplicidade de carácter e de vida, ao mesmo tempo um homem detentor de uma enorme profundidade e riqueza intelectual.

Na Nota de Abertura do livro, o Presidente da Câmara refere que com esta redição pretendeu-se dignificar dois grandes símbolos mortaguenses. “ O Pelourinho, pelo seu contexto histórico e todo o simbolismo que acarreta e o Dr. Assis e Santos, humilde médico e ilustre mortaguense, pela sua dedicação, empenho e amizade para com a nossa terra e as nossas gentes”. E acrescenta: “Será sempre pouco o que se faça por quem se deu aos outros sem nada receber em troca!”.

A apresentação da obra esteve a cargo da Dra. Maria Alegria Fernandes Marques, Profª Catedrática da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra e autora do prefácio. Aquela docente começou por referir que a reedição do livro “O Pelourinho de Mortágua” é também uma forma de o Município prestar pública homenagem a “um dos filhos mais ilustres e queridos do concelho” Além de um exímio profissional, destacou também o seu carácter de benemérito e de homem de profunda humanidade.

Um homem que deixou-se impregnar pelo gosto de outros saberes, para além daquele de que fazia sua profissão. Espírito polifacetado, conhecia as línguas clássicas (grego e latim), conhecia e falava línguas modernas, como o inglês, francês, alemão e russo, praticava o desenho, a fotografia, e cultivava as ciências ou técnicas ligados a saberes diretamente relacionados com a natureza, como a ótica, a observação astronómica, as análises clinicas. Foi, no entanto, no domínio da História que deixou memória mais marcante, de que é exemplo este livro.

A docente afirmou que nunca é demais enaltecer a memória de uma figura, cuja obra continua a ser, passadas tantas décadas, ainda base para o conhecimento do passado de Mortágua.

O Dr. Assis e Santos, além de um médico “amigo do povo”, um verdadeiro “João Semana”, foi também escritor, historiador, investigador, autodidata, tendo-se dedicado ao estudo de várias áreas do conhecimento, nomeadamente à investigação dos aspetos relacionados com o passado histórico do concelho, de que os livros “O Pelourinho de Mortágua” e “Mortalacum” são disso exemplo. Na obra “O Pelourinho de Mortágua”, o autor faz a descrição e interpretação dos vários elementos que constituem o Pelourinho, único monumento nacional existente no concelho e construído no séc. XVI, fazendo ainda referência à organização político-administrativa ao tempo da construção do Pelourinho e aos vários donatários que tiveram o domínio do concelho, desde a sua fundação, em 1192, até 1883, data em que caducou a última doação senhorial.









Este artigo veio de www.cm-mortagua.pt
https://www.cm-mortagua.pt