Bem vindo ao ao www.cm-mortagua.pt

 Menu

 


 Agenda Municipal

 

Edição de
Outubro 2021


Versão em PDF


Acompanhe o Município
de Mortágua no Facebook

 


 

Conheça as novidades do Mercado Municipal



 Newsletter
Deseja receber notícias de Mortágua no seu endereço de e-mail?

Subscreva a nossa newsletter.

Clique aqui para se inscrever.


Notícia
Índice >  



Passeio Pedestre às Quedas d`Água das Paredes

2008-05-15
Fonte: Câmara Municipal de Mortágua

Muita adesão, inscreveram-se 400 participantes!


A adesão à segunda Caminhada por “Trilhos de Terra e Água”, realizada no passado dia 11, ultrapassou todas as expectativas, de tal forma que a Câmara Municipal teve que dividir o número de inscritos por dois dias e grupos, por razões logísticas mas também para reduzir o impacto humano sobre o trilho.
O primeiro grupo de 200 caminhantes realizou o percurso no dia 11. Está previsto para o próximo domingo, dia 18, o segundo grupo, também de 200.

O Percurso Pedestre das Quedas d`Água das Paredes, com 7Km de extensão, teve início junto ao Moinhos das Laceiras, sendo percorrido quase na sua totalidade ao longo da Ribeira dos Moinhos, assim chamada pelos vários moinhos de rodízio tocados a água que outrora existiram nas suas margens, dos quais hoje restam apenas vestígios. Mas noutros tempos, os campos eram cultivados de trigo, centeio, milho, o pão cozia-se em casa e por esse motivo os moinhos tinham uma importância muito grande na vida económica das aldeias.

Nesta época do ano, devido à muita chuva que caiu durante o Inverno e Primavera, a ribeira leva abundância de água, o que lhe confere mais fulgor e beleza. Ao longo do trilho somos envolvidos por uma vegetação autóctone e verdejante, onde imperam carvalhos, castanheiros, salgueiros, sobreiros, loureiros, amieiros, mas também fetos, medronhos, madressilvas, urzes, tojos, entre outras espécies florísticas. Respira-se ar puro, exala-se o aroma perfumado das flores e plantas silvestres, a tranquilidade é absoluta. Os únicos sons que ouvimos são o cantar das aves ou o sussurrar melodioso das águas a escorrer entre as pedras e a densa vegetação. E outros sons, não menos belos, com que somos surpreendidos à chegada a um dos parques de merendas, um imenso largo envolto em frondoso arvoredo: um grupo de jovens tocaram violinos e interpretaram cantigas populares, por sua vez o Rancho dos “Irmânicos da Marmeleira” exibiu cantares e danças tradicionais, recordando tempos idos em que raparigas e rapazes cantavam, bailavam e namoravam à sombra dos carvalhos, na Ribeira dos Moinhos.
Naquele cenário, a natureza, a música e a humanidade uniram-se numa perfeita harmonia.


As águas são límpidas e puras. A espaços, encontramos pequenas represas que desaguam em pequenas lagoas que convidam a um banho, mais para o Verão. Esta ribeira é classificada como ribeira truteira, sendo rica em fauna piscícola e ribeirinha.


O percurso pedestre está devidamente marcado e sinalizado com placas de orientação e de informação da flora e fauna existente. A Câmara Municipal construiu várias infraestruturas ao longo do percurso, nomeadamente dois parques de merendas, escadas e pontes de madeira. A limpeza do trilho e a construção destes equipamentos foram essenciais para que o trilho pudesse ser visitável em toda a sua extensão.

A primeira etapa do percurso (manhã) terminou nas Quedas d`Águas das Paredes. Ali chegados os nossos olhos viram-se de imediato para o céu, atraídos pelo chamamento do brotar da água que se precipita do alto da serra, caindo em três sucessivas cascatas, que desaguam em pequenos lagos, formando verdadeiras piscinas naturais. Nesta altura do ano, o que não é muito habitual, as quedas de água estão especialmente majestosas. Tiraram-se muitas fotografias com as quedas de água em pano de fundo. Valeu bem o esforço para alcançar este prémio, uma paisagem de rara beleza. Para os que não conheciam ainda o local, foi a surpresa e o deslumbre completo. Estas caminhadas tem também esse condão, a descoberta do concelho, dos seus recantos, aldeias, paraísos perdidos como este, aqui tão perto. Aproximava-se a hora do almoço, era tempo de retemperar forças.



Voltou-se à aldeia das Paredes. Aguardava-nos uma “bucha camponesa”, nas instalações da Associação local. Recebemos a simpatia e simplicidade das gentes da aldeia, que ainda nos presentearam com saborosas sobremesas caseiras: filhoses, aletria e Bolo de Cornos. Mais outra descoberta destes passeios, as nossas gentes, as nossas aldeias, os nossos costumes. Descansou-se um pouco e ganhou-se alento para a segunda etapa, desta vez com os campos agrícolas e a floresta a acompanharem-nos.

Chegou-se à aldeia das Laceiras. Parou-se junto à casa onde nasceu e viveu o grande escritor, pedagogo e político Tomás das Fonseca. Houve declamações de poemas do escritor. Mais adiante, no Largo da Capela, assistiu-se a uma encenação de um excerto do seu livro, “A Filha de Labão”, um dos seus romances mais emblemáticos e no qual o autor nos oferece uma aguarela pitoresca e poética das paisagens campestres, da vida bucólica, costumes, virtudes e vícios das gentes simples que habitavam por estas paragens, na segunda metade do século XIX. Como esta passagem: “Aos domingos, os rapazes, no regresso da missa, iam ter à Ribeira dos Moinhos, onde, à sombra dos carvalhos, passavam horas esquecidas, conversando ou bailando com as namoradas”. As suas obras e personagens serviram de mote à caminhada, com várias encenações teatrais no percurso, como aquela que recordou a história da pequena “Cotovia”, a jovem pura e laboriosa que trabalhava dia e noite, sem descanso, às ordens da sua patroa, mulher dura e impiedosa.
Mais uma descoberta: os nossos escritores, a nossa cultura, a poesia, a literatura.
O passeio estava a chegar ao fim, bastante animado e cheio de surpresas, passado entre ribeiras, serras, campos agrícolas e floresta.

Entre os participantes nesta Caminhada esteve também o Presidente da Câmara Municipal, Afonso Abrantes, que no final agradeceu a presença de todos os caminhantes, de todos os que colaboraram nas actividades de animação, na segurança e apoio logístico. Entre as entidades que colaboraram estiveram os Bombeiros Voluntários de Mortágua e o Rancho Folclórico “Os Irmânicos” da Marmeleira, sem esquecer os habitantes das aldeias das Paredes e Laceiras.


Segundo nos referiu o Presidente da Câmara, estas caminhadas são muito agradáveis para o corpo e espírito e constituem um excelente convívio social, além disso dão a conhecer melhor o concelho, destacando ainda o facto de haver 70 participantes de fora do concelho nas duas iniciativas já realizadas.



Veja aqui as fotos.

Direitos de autor reservados
ImprimirImprimir

  Outras notícias
Rali de Mortágua vai decidir o Campeão Nacional de Ralis.2021-10-26
Mundiais de Pista. Ciclista Iúri Leitão sagrou-se Vice-Campeão do Mundo na prova de eliminação.2021-10-25
Primeira reunião do Executivo Camarário2021-10-22
Presidente da Câmara eleito traçou objetivos do programa de governação para os próximos 4 anos: “Fazer mais pelas Pessoas” e construir uma “Melhor Mortágua”.2021-10-19
Bruno Sancho vence em casa e sagra-se novo Campeão Nacional de Maratona XCM, categoria Elites.2021-10-18
Receção aos alunos da Academia Saber+. Ano letivo arrancou com cerca de 70 alunos já inscritos.2021-10-04
Passeio Noturno Encenado – “Marcos Históricos - A encruzilhada do Bussaco”2021-09-29
Joaquim Silva e Pedro Pinto foram bronze no Campeonato Nacional de Rampa 2021-09-13
Mortágua tem 4º mural evocativo das Invasões Francesas. Trabalho é da autoria da artista mortaguense Rute Gonzalez. 2021-09-08
Joaquim Silva, da equipaTavfer-Measindot-Mortágua, venceu 1ª Etapa e é Camisola Amarela do GP Jornal de Notícias 2021-09-01


Início | Município | Notícias | Eventos | Turismo | Contactos | Mapa do Site | Política de Privacidade