Bem vindo ao ao www.cm-mortagua.pt

 Menu

 


 Agenda Municipal

 

Edição de
Outubro 2021


Versão em PDF


Acompanhe o Município
de Mortágua no Facebook

 


 

Conheça as novidades do Mercado Municipal



 Newsletter
Deseja receber notícias de Mortágua no seu endereço de e-mail?

Subscreva a nossa newsletter.

Clique aqui para se inscrever.


Notícia
Índice >  



Apresentação do livro “É Possível”, na Biblioteca Municipal

2017-01-31
Fonte: Câmara Municipal de Mortágua

Foi apresentado no dia 28, na Biblioteca Municipal, o livro “É Possível”, da autoria de Rui Bernardino e Cláudia Cambraia. O livro conta a história de vida de Rui Bernardino, que é portador de ataxia de Friedreich, uma doença genética caracterizada pela perda gradual da coordenação e progressiva degeneração do sistema nervoso.

O evento contou com uma participação especial do Orfeão Polifónico de Mortágua, que interpretou três temas escolhidos criteriosamente para esta sessão:“Freedom”,“Melhor de Mim”, de Mariza, e “O Pastor”, dos Madredeus. Um momento que deixou o autor muito sensibilizado.

Em representação do Município, o Vereador da Cultura, Paulo Oliveira, deu as boas vindas a Rui Bernardino e à sua esposa, Michelly Abreu, e referiu que o seu testemunho de vida constitui um exercício de reflexão para todos, pois mostra como novas circunstâncias podem mudar uma vida, a nossa forma de ser e de estar. Ao mesmo tempo ensina que até os obstáculos mais difíceis, como é uma doença limitativa da mobilidade, podem ser superados, sendo possível alcançar a felicidade.

O Vereador agradeceu ainda a presença das professoras do Ensino Especial, do Agrupamento de Escolas de Mortágua, e enalteceu o trabalho que desenvolvem em prol dos alunos com necessidades educativas especiais, procurando que também elas tenham um futuro de esperança. Dirigiu ainda uma palavra de apreço ao Orfeão Polifónico de Mortágua, destacando a escolha dos temas, a qualidade da apresentação e a magnífica interpretação, que acrescentaram mais brilho ao momento.

Na sua terceira edição, o livro relata na primeira pessoa a história de vida de Rui Bernardino, portador de uma doença genética rara denominada “Ataxia de Friedreich”, que o prendeu a uma cadeira de rodas quando tinha apenas 20 anos de idade. Uma limitação que, no entanto, não o impediu de lutar, de sonhar, de acreditar que ”é possível”. Dotado de uma personalidade muito forte, o autor revela de uma forma muito própria, como vem lidando com uma vida condicionada pela cadeira de rodas.

Rui Bernardino vive em Coimbra com a esposa e a filha, mas até aos 30 anos residiu em Lagares da Beira, concelho de Oliveira do Hospital.

Ao longo de 108 páginas, o livro relata um conjunto de episódios verídicos, mais ou menos caricatos, de um percurso de vida, onde se partilha a alegria e a tristeza, que tem como personagem principal Rui Bernardino.

A infância, a juventude, o desenvolvimento da doença, a família, os amigos, o casamento, a descoberta da fé, o nascimento da filha, são algumas das fases marcantes que relata no livro. E no final fala das metas e dos sonhos que ainda pretende concretizar, como ir aos Jogos Paralímpicos. O livro destaca os principais pilares deste percurso: o tio Tó, também portador de Ataxia Friedreich, que constitui a sua principal referência, Miguel Abrantes, o melhor e fiel amigo até aos dias de hoje, e a esposa, Michelly Abreu, a sua maior força.

Este livro conta uma história de vida, real, simples, mas de superação. Cláudia Cambraia, que ajudou a escrever o livro (Rui Bernardino tem dificuldade em se expressar verbalmente devido à doença), escreve que é a história de vida de um homem, “nem pobre coitado, nem herói, mas alguém que ousou, alguém que teve a coragem para enfrentar os desafios e ir em busca da sua felicidade”. Dezasseis anos depois, Rui voltou à escola, e está a frequentar o curso de Gestão Comercial no ISCAC –Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Coimbra.

Aceitar a doença, a sua condição, “mas lutar, persistir, insistir, definir objetivos e metas”, é o lema de vida de Rui. Apesar de ter consciência que não pode viver uma vida normal, Rui tem vivido experiências incríveis, algumas das quais julgava impossíveis, devido à sua condição física. “Descobri que a cadeira de rodas não conseguiu aprisionar a minha mente, nem impedir-me de conquistar os meus sonhos. A minha história é escrita com luta, resistência e vitórias, mas acima de tudo, com uma fé inabalável de que tudo é possível”, diz.

Rui Bernardino encara com alegria e satisfação as vitórias já alcançadas, mas sobretudo olha para o futuro com muita vontade de viver e trilhar novos caminhos e desafios.

Este é um livro inspirador, que nos transmite a força e a alegria de viver, mesmo quando se tem uma limitação física. E que mesmo no meio das maiores adversidades, é possível encontrar a felicidade. Rui Bernardino quis partilhar a sua história de vida como forma de motivar e inspirar positivamente outras pessoas que têm limitações físicas, apontando-lhes o seu exemplo de luta e perseverança. O autor mostra que ser feliz só depende da nossa atitude, além de motivar todos os leitores a encontrarem o que de melhor têm para dar aos outros e a valorizarem o seu viver.


Direitos de autor reservados
ImprimirImprimir

  Outras notícias
Presidente da Câmara eleito traçou objetivos do programa de governação para os próximos 4 anos: “Fazer mais pelas Pessoas” e construir uma “Melhor Mortágua”.2021-10-19
Bruno Sancho vence em casa e sagra-se novo Campeão Nacional de Maratona XCM, categoria Elites.2021-10-18
Ricardo Pardal tomou posse como presidente da Câmara para o mandato 2021-20252021-10-18
Marcos Históricos. Praça do Município acolheu o espetáculo “A Encruzilhada do Bussaco”. 2021-10-12
Mortágua foi palco do espetáculo comunitário “O Caldo – Contar de Ouvido”2021-10-06
Receção aos alunos da Academia Saber+. Ano letivo arrancou com cerca de 70 alunos já inscritos.2021-10-04
Passeio Noturno Encenado – “Marcos Históricos - A encruzilhada do Bussaco”2021-09-29
Joaquim Silva e Pedro Pinto foram bronze no Campeonato Nacional de Rampa 2021-09-13
Mortágua tem 4º mural evocativo das Invasões Francesas. Trabalho é da autoria da artista mortaguense Rute Gonzalez. 2021-09-08
Joaquim Silva, da equipaTavfer-Measindot-Mortágua, venceu 1ª Etapa e é Camisola Amarela do GP Jornal de Notícias 2021-09-01


Início | Município | Notícias | Eventos | Turismo | Contactos | Mapa do Site | Política de Privacidade