Bem vindo ao ao www.cm-mortagua.pt


Mensagem do
Presidente


 Menu

 


 Agenda Municipal

 

Edição de
Outubro 2021


Versão em PDF


Acompanhe o Município
de Mortágua no Facebook

 


 

Conheça as novidades do Mercado Municipal



 Newsletter
Deseja receber notícias de Mortágua no seu endereço de e-mail?

Subscreva a nossa newsletter.

Clique aqui para se inscrever.


Notícia
Índice >  



TEM estreou “Péricles”, de William Shakespeare

2017-01-16
Fonte: Câmara Municipal de Mortágua

O TEM - Teatro Experimental de Mortágua estreou no passado dia 14 a sua nova produção teatral – “Péricles”. Trata-se de uma peça escrita por William Shakespeare em 1609 e uma das tragicomédias da sua vasta obra para o teatro.

Com encenação de Claudio Hochman, a peça subiu ao palco do Centro de Animação Cultural, em duas sessões, (sábado e domingo) contando no total com cerca de 400 pessoas na assistência.

Depois de ter já apresentado uma peça de Molière, o TEM colocou a fasquia num patamar ainda mais elevado, escolhendo um autor como William Shakespeare, amplamente considerado como o maior escritor da língua inglesa e o mais influente dramaturgo do mundo.

Péricles, Príncipe de Tiro (Pericles, Prince of Tyre, no original inglês) retrata as aventuras de um príncipe errante (Péricles) e os poderes redentores do amor de uma filha. À maneira de Ulisses na “Odisseia”, Péricles vai de ilha em ilha, por vezes perseguido por assassinos, outras sacudido por tempestades, outras à procura da sua filha. Nesta viagem aparecem personagens de todas as texturas. Bons, maus, submissos, dominantes, solidários, interesseiras, invejosos, benevolentes, implacáveis, espirituosos e espirituais…Um leque de cores que reflete a vida, como em todas as peças do dramaturgo inglês. Uma peça que é uma viagem, uma viagem que é uma peça, onde o drama, o humor, a magia e a emoção, dão as mãos.

O encenador Claudio Hochman, natural da Argentina, já encenou várias peças de Shakespeare, mas nunca “Péricles”. “Há muito tempo que tinha vontade de encenar este texto, sempre me atraiu o rocambolesco da história. O extremo, o insólito. São demasiadas as desgraças que ocorrem a Péricles para que tudo isto seja verdade. Mais parecido com uma telenovela que com uma peça do bardo. Uma mistura de narração e ação. Muitos espaços por onde navegar e isso é sempre um desafio”, diz.

O encenador explica que procurou manter a sequência de cenas, adaptando o texto sem perder a essência do original. Houve apenas uma simplificação textual, para que a peça não ficasse muito longa, e em vez do narrador externo da peça original, é Marina, a filha de Péricles, que nos vai introduzindo na história.

Tudo se passa num pequeno teatro, um palco dentro do palco, em que o cenário se vai alterando com o decorrer da história. Para a cenografia e figurinos o encenador convidou a artista plástica Rocio Matosa para plasmar esteticamente os vários espaços onde a história flui. Porque um espetáculo, como um bom prato de comida, tem de seduzir os olhos do espetador.

 

Esta foi a segunda peça encenada por Claudio Hochman para o TEM, depois de “Muito Molière”. “Eu gosto de trabalhar em grupos com estas características, composto por gente de profissões diferentes que se junta para fazer teatro e que sente realmente que gosta de fazer teatro. São amadores de verdade. E com atores de diferentes gerações, desde jovens com 18 ou 20 anos, até adultos com 60 ou mais anos, em que os mais novos aprendem com os mais velhos e os mais velhos aprendem também com os mais novos. Todos aprendem com todos. Eu gosto dessa experiência”.

No final da representação, os atores juntaram-se no palco e receberam uma forte ovação do público, sendo notório o seu agrado e entusiasmo perante esta nova e ambiciosa estreia do TEM, a sua 55ª produção em 35 anos de vida.

O Presidente da Direção do TEM, António João Lobo, agradeceu a presença do público, e destacou a estreia absoluta de três novos atores: Helena António, Mónica Dias e Fátima Vicente. Agradeceu depois aos atores, fazendo a entrega de uma lembrança simbólica a cada um deles. Referiu que a representação da peça constituiu um grande desafio para todos, quer a nível de texto quer de montagem cenográfica, o que valoriza ainda mais o trabalho e o resultado final.

De seguida agradeceu os apoios institucionais da Câmara Municipal e da União de Freguesias, e das empresas “Caldas de Penacova” e “Tria”. Adiantou que a peça vai entrar em itinerância ainda este mês, sendo a primeira saída no dia 27, a Oiã. A agenda já tem datas até ao final do mês de julho, havendo também uma marcação para novembro.

No final, o Presidente da Câmara Municipal foi convidado a subir ao palco para dirigir algumas palavras de circunstância. Júlio Norte felicitou os atores que “estiveram brilhantes e proporcionaram um momento extraordinário”, que considerou mesmo ser um dos mais altos no percurso do TEM. “Acho que todos sentimo-nos orgulhosos do espetáculo que tivemos o prazer de assistir, que não fica nada a dever a outros que vemos noutros pontos do país, feito por profissionais. O nome de Mortágua vai naturalmente ser dignificado pela vossa forma de ser e de estar e pelo brilhantismo com que estiveram em palco”, afirmou. O Presidente da Câmara dirigiu também palavras de apreço para o encenador Claudio Hochman e prestou uma homenagem ao Presidente da Direção do TEM, António João Lobo, destacando os muitos anos de ligação e dedicação ao grupo, em múltiplas funções. Júlio Norte sublinhou que o TEM é um grande embaixador cultural do concelho, levando e prestigiando o nome de Mortágua por todo o país, e referiu que o Município vai continuar a investir na cultura e a apoiar as associações culturais do concelho. “Sentimos muito orgulho quando vemos o nosso concelho ultrapassar a média nacional em termos de apoio à cultura e ao desporto”, afirmou.

Elenco

Ana Tomás, Anabela Jorge, Décio Rosa, Fátima Vicente, Helena António, Hugo Melo, José Carlos, Luís Coelho, Mónica Dias, Rita Nobre, São Garcia, Simão Silva.

 

Ficha técnica

Claudio Hochman – Encenação

Rocio Matosa – Cenografia e Figurinos

António João Lobo- Diretor de Cena, Luz e Som

Carlos Inácio- Carpintaria

Equipa do TEM - Caracterização, Produção e Montagem

 


Direitos de autor reservados
ImprimirImprimir

  Outras notícias
Marcos Históricos. Praça do Município acolheu o espetáculo “A Encruzilhada do Bussaco”. 2021-10-12
Mortágua foi palco do espetáculo comunitário “O Caldo – Contar de Ouvido”2021-10-06
Concerto comemorativo dos 125 anos da Filarmónica de Mortágua2021-09-29
Iniciada a construção do Parque Canino junto aos passadiços da ribeira da Fraga2021-09-24
Arrancou novo ano letivo com a maioria dos alunos já vacinados2021-09-20
Receção aos alunos da Academia Saber+. Ano letivo arrancou com cerca de 70 alunos já inscritos.2021-10-04
Passeio Noturno Encenado – “Marcos Históricos - A encruzilhada do Bussaco”2021-09-29
Joaquim Silva e Pedro Pinto foram bronze no Campeonato Nacional de Rampa 2021-09-13
Mortágua tem 4º mural evocativo das Invasões Francesas. Trabalho é da autoria da artista mortaguense Rute Gonzalez. 2021-09-08
Joaquim Silva, da equipaTavfer-Measindot-Mortágua, venceu 1ª Etapa e é Camisola Amarela do GP Jornal de Notícias 2021-09-01


Início | Município | Notícias | Eventos | Turismo | Contactos | Mapa do Site | Política de Privacidade