Bem vindo ao ao www.cm-mortagua.pt

 Menu

 


 Agenda Municipal

 

Edição de
novembro 2021


Versão em PDF


Acompanhe o Município
de Mortágua no Facebook

 


 

Conheça as novidades do Mercado Municipal



 Newsletter
Deseja receber notícias de Mortágua no seu endereço de e-mail?

Subscreva a nossa newsletter.

Clique aqui para se inscrever.


Notícia
Índice > Cultura 



Apresentação do livro “ Pezurala Sençad, a fada inexperiente”, de Patrícia Diogo, na Biblioteca Municipal

2016-05-17
Fonte: Câmara Municipal de Mortágua

 

A Biblioteca Municipal foi palco no passado dia 13, da apresentação do livro “Pezurala Sençad, a fada inexperiente”, da autoria da mortaguense Patrícia Diogo.

A sala de audiovisuais da Biblioteca Municipal, onde decorreu a apresentação, estava repleta de pessoas. Para além dos muitos mortaguenses que quiseram associar-se a este ato público, encontravam-se presentes os pais, familiares e amigos da autora, que viveram com natural emoção este dia e momento, até porque o livro é baseado numa história real e comovente.

O livro foi inspirado numa história real, a história da Catarina, afilhada da autora, a quem é dedicado o livro como uma homenagem. Aos 10 anos de idade foi-lhe diagnosticado um problema de saúde (diabetes mellitus tipo 1), que obrigou a ficar internada durante um mês. Esta situação menos boa inspirou Patrícia Diogo a criar uma história que ajudasse a desmistificar a doença junto das crianças, não só diabéticas, mas também das suas famílias.

A essa história factual juntou uns pozinhos de imaginação, fantasia e criatividade, entrecruzando o mundo real e o mundo onírico. Além das personagens reais (Catarina, mãe, avó) surgem outras personagens com nomes estranhos, que afinal são anagramas, como a Fada Vabonoa (fada da boa nova), a Reitora Desauda (a fada saudade), Demaemora (amor de mãe). A Fada Pezurala tem a missão de ajudar a Catarina e todos os que a rodeiam a entenderem melhor que os dias que se aproximam são cheios de luz, de amor e tranquilidade. Serão dias de adaptação a um novo quotidiano, que não têm de ser um pesadelo ou drama.

Na apresentação da obra usaram da palavra vários oradores convidados. O Prof. José Alberto Diogo, tio da autora, falou do percurso pessoal e académico da Patrícia, desde a Escola Primária em Vale de Açores até à Faculdade, e contou que a mesma sempre teve o prazer de escrever: “Mesmo que não tivesse acontecido esta situação, esta história que como ela diz nunca gostaria de ter imaginado, acho que mais cedo ou mais tarde ela iria escrever”. E afirmou que este é um livro escrito com muito amor e carinho.

A Dra. Célia Abreu, que foi professora da Patrícia, recordou a aluna trabalhadora, metódica e assertiva nas aulas, ao mesmo tempo uma pessoa descontraída e com sentido de humor.

E afirmou que é sempre “com muito agrado e um carinho especial” que participa nestes atos públicos, lembrando que já é a terceira vez que apresenta livros escritos por seus ex-alunos. De seguida falou do livro e da sua mensagem, e lembrou que a vida também se faz de sonho e de fantasia.

Patrícia Diogo, 29 anos, é natural de Vale de Açores, mas reside atualmente em Coimbra. É Médica Dentista, doutoranda em Ciências da Saúde da Faculdade de Medicina da Universalidade de Coimbra. Desde cedo revelou o gosto pela escrita criativa, tendo frequentado diversos cursos e workshops. É autora do blog de escrita criativa – o amarelo da yGirl.

A autora agradeceu o apoio e incentivo dos pais, familiares, namorado, colegas de trabalho, bem como o apoio da Câmara Municipal, da Biblioteca Municipal, que associaram-se à iniciativa de apresentação do livro.

A formação na escrita criativa acabou por ser decisiva no surgimento deste livro. “Foi uma coincidência, estava a escrever um pequeno conto infantil que era para ter 3 ou 4 páginas, e de repente aconteceu esta situação da Catarina, e achei que tinha de continuar a desenvolver a história, nunca mais parei até ao fim”, contou. Patrícia Diogo confidenciou: “Este é aquele livro que eu desejava nunca ter escrito”, e salientou que o livro é uma homenagem à Catarina e a todas as crianças que sofrem da mesma doença, transmitindo-lhes a esperança de que virão dias melhores.

Rute Gonzalez, também natural de Vale de Açores, foi a responsável pela ilustração da obra. Referiu que foi com enorme gosto que aceitou o convite, que representou ao mesmo tempo um grande desafio, pois foi a primeira vez que ilustrou um livro para crianças. E afirmou que este livro, antes de ser um conto infantil, “é “um ato de solidariedade”, que pode ajudar outras crianças que sofrem desta doença.

O Presidente da Câmara Municipal, Júlio Norte, presente na sessão, felicitou a autora e a ilustradora do livro, duas pessoas que viu crescer, destacando os seus méritos pessoais e profissionais. E afirmou sentir-se “muito satisfeito e feliz” por já começar a ser habitual ver mortaguenses a publicar livros. “Acho que Mortágua tem muitos jovens talentosos, com muita qualidade, sejam escritores, artistas, empresários, empreendedores, investigadores, temos de concluir que estamos numa terra com muito potencial”, afirmou.

E louvou a atitude dos escritores e artistas, que estando a fazer o seu percurso profissional fora de Mortágua, fazem questão de apresentar as obras na sua terra, numa demonstração de que não esquecem as suas origens.

A finalizar, o Presidente da Câmara deixou palavras de incentivo à autora para que pense já num novo livro e formulou votos de muitas felicidades pessoais, familiares e profissionais. É quase certo que isso irá acontecer, pois Patrícia Diogo confidenciou que já tem alguns projetos em mente, também na área da escrita.

O corrente ano vai ser especialmente marcado por vários lançamentos editoriais. No próximo dia 21, por ocasião da Feira do Livro, será feita a apresentação da nova obra literária de Jorge Gonzalez, e Pedro Abreu Simões irá dar a conhecer o seu novo livro de poesia.

O próprio Município promoveu recentemente uma reedição do Pelourinho de Mortágua, da autoria do Dr. Assis e Santos, e vai lançar ainda este mês a reedição da obra “O Pinheiro” de Tomás da Fonseca. Para setembro está também prevista a apresentação de uma obra sobre Mortágua e as Invasões Napoleónicas, da autoria do Dr. João Paulo Almeida e Sousa.

Resta dizer que este é um livro que fala de esperança, amor, afetos, coragem, que depois das nuvens sombrias o sol sempre aparecerá e raiará com o seu esplendoroso brilho!.

 


Direitos de autor reservados
ImprimirImprimir

  Outras notícias
Passeio Noturno Encenado – “Marcos Históricos - A encruzilhada do Bussaco”2021-09-29
Mortágua tem 4º mural evocativo das Invasões Francesas. Trabalho é da autoria da artista mortaguense Rute Gonzalez. 2021-09-08
“Tantos modos de ser carta” na Biblioteca Municipal 2019-11-26
Município atribui nome de Branquinho da Fonseca para patrono da Biblioteca Municipal2019-02-19
Orquestra Clássica do Centro, acompanhada por Rafaela Monteiro, proporcionou espetáculo memorável2018-12-04
Mortágua acolheu Estágio Nacional de Karaté Shukokai2021-11-24
Lançamento do jogo “Napoleão - O princípio do fim”. Projeto envolve 13 municipios da Rede Temática das Invasões Temáticas em Portugal.2021-11-23
Escola Municipal de Natação de Mortágua participa no Circuito Municipal de Escolas de Natação 2021-11-22
Infraestruturas de Portugal executou obras de conservação na rede viária nacional que serve o concelho (EN234, EN334-1 e EN228)2021-11-16
Serviço de recolha de resíduos específicos 2021-11-15


Início | Município | Notícias | Eventos | Turismo | Contactos | Mapa do Site | Política de Privacidade