Bem vindo ao ao www.cm-mortagua.pt

 Menu

 


 Agenda Municipal

 

Edição de
Outubro 2021


Versão em PDF


Acompanhe o Município
de Mortágua no Facebook

 


 

Conheça as novidades do Mercado Municipal



 Newsletter
Deseja receber notícias de Mortágua no seu endereço de e-mail?

Subscreva a nossa newsletter.

Clique aqui para se inscrever.


Notícia
Índice >  



Inaugurada Unidade de Acolhimento Temporário

2005-09-15
Fonte: Câmara Municipal de Mortágua
Com a presença do Secretário de Estado da Segurança Social

Foi inaugurado no passado dia 3 de Setembro, a Unidade de Acolhimento Temporário da Santa Casa da Misericórdia de Mortágua, a funcionar no antigo edifício do Hospital Concelhio. A cerimónia foi presidida pelo Secretário de Estado da Segurança Social, Dr. Pedro Marques. Assistiram ainda ao acto o Governador Civil de Viseu, Dr. Acácio Pinto, o Director do Centro Distrital de Solidariedade Social de Viseu, Dr. Manuel João, o Deputado José Junqueiro, o Presidente da Câmara Municipal, Afonso Abrantes, Presidente da Assembleia Municipal, Vereadores, Presidentes de Junta, Director do Centro de Saúde, Presidente da Direcção dos Bombeiros, Comandante dos Bombeiros e da GNR, para além de antigos médicos ligados à instituição, membros dos Órgãos Sociais e Irmãos da Santa Casa da Misericórdia. A população acorreu em grande número para presenciar este importante acontecimento na história e vida da Instituição e do Concelho, estando o hall de entrada do edifício, onde decorreu a cerimónia solene, completamente lotado de pessoas, tendo inclusive a maioria assistido ao seu desenrolar a partir do exterior.

A cerimónia teve início com a Benção das instalações, presidida pelo Padre Loureiro, tendo de seguida o Provedor e o Secretário de Estado descerrado uma placa evocativa daquele dia e evento.

A Unidade de Acolhimento Temporário resultou da recuperação/ adaptação do antigo edifício do Hospital concelhio, que deixou de funcionar há cinco anos com a entrada em funcionamento do novo Centro de Saúde. Com uma capacidade de 20 camas, constitui-se como um centro de recursos locais aberto à comunidade, proporcionando serviços em regime de internamento temporário, que visam a prevenção, reabilitação e reinserção de pessoas em situação de dependência, assegurando apoio e cuidados diversificados e continuados de saúde na perspectiva da promoção da maior autonomia possível e da continuação de um projecto de vida.
A recuperação e equipamento das instalações custaram 794.726,61 euros, dos quais 48% foram financiados pelo Programa Operacional da Saúde – Saúde XXI, 150.000 euros pela Câmara Municipal (equivalente a 17,5% do custo total da obra) e o restante pela Santa Casa da Misericórdia.

“Esta Unidade era uma efectiva necessidade para a população e por isso nunca desistimos da sua construção, apesar de todas as dificuldades e contrariedades que tivemos que enfrentar” – afirmou o Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Mortágua, Eng. Júlio Norte.

Na sua intervenção, o Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Mortágua, Eng. Júlio Norte, referiu-se às principais etapas da vida da instituição desde que iniciou a sua actividade, em 1948, precisamente com a construção do antigo Hospital. Fez depois o historial do processo que conduziu à criação desta Unidade de Acolhimento Temporário, lembrando que com o encerramento do anterior Centro de Saúde e consequente construção do novo, deixou de haver internamento, ficando a população privada desse serviço. Pelo que antecipadamente, a Santa Casa em parceria com a Câmara Municipal, o Centro Regional de Segurança Social - Serviço Sub-Regional de Viseu, Bombeiros Voluntários, Sub-Região de Saúde de Viseu / Centro de Saúde, elaboraram uma candidatura ao Programa Integrado de Apoio a Idosos, para um Centro de Apoio a Dependentes (CAD), com capacidade para 10 camas, tendo a Santa Casa disponibilizado o espaço físico para o efeito e alguns recursos humanos. Com a inauguração do CAD no ano de 2000, foi assim criada no concelho uma resposta inter-institucional e interdisciplinar (saúde e acção social) aberta à comunidade, para apoio ao internamento temporário de pessoas em situação de dependência com uma forte componente de reabilitação.
Tendo os parceiros envolvidos no projecto concluído pela “efectiva necessidade de implementação no concelho de uma “resposta” que visasse criar condições que possibilitassem uma intervenção articulada da saúde e da acção social dirigida às pessoas em situação de dependência e assegurasse a continuidade dos serviços prestados pelo CAD, decidiram avançar para a criação de uma Unidade de Apoio Integrado, dando também assim efectivo cumprimento ao que estava previsto no Acordo de Colaboração assinado em 1995 entre a Administração Regional de Saúde e a Câmara Municipal, que na sua cláusula 3ª referia expressa e especificamente “tendo em vista a melhoria na prestação de cuidados de saúde continuados à população de Mortágua (...) a Administração Regional de Saúde do Centro compromete-se a celebrar com a Santa Casa da Misericórdia um contrato-programa, nos termos do artº 34º do Estatuto do Serviço Nacional de Saúde anexo ao Decreto-Lei 11/93, de 15 de Janeiro, que permita financiar as obras de recuperação do edifício do actual Centro de Saúde, bem como celebrar acordos de cooperação”.
No entanto, esse compromisso assumido pela ARS do Centro não veio a ser cumprido, criando uma situação muito difícil à Instituição, ao mesmo tempo que as condições do edifício se iam degradando.
“Mais uma vez a Câmara Municipal dispôs-se a ajudar, tendo o Senhor Presidente lançado o repto ”a obra tem que ser feita e o dinheiro há-de aparecer” e se disponibilizado para mandar executar o projecto de recuperação das instalações. Com o projecto aprovado e apenas com o apoio garantido da Câmara Municipal, decidimos avançar por nossa conta e risco”. Sublinhando “sem esse empenho pessoal e apoio do Sr. Presidente da Câmara dificilmente estaríamos hoje aqui a inaugurar estas instalações”.
A terminar a sua intervenção dirigiu agradecimentos ao empreiteiro, ao Eng. Daniel, director da obra, Eng. Jorge Festas do GAT, ao Dr. Manuel João, Director do Centro Distrital da Segurança Social, ao Prof. Dr. Fernando Regateiro, ao Centro de Saúde de Mortágua, ao Eng. Arnaldo, técnico responsável pela fiscalização da obra, à Câmara Municipal e ao seu Presidente. Acentuando “sem esse empenho pessoal e apoio do Sr. Presidente da Câmara dificilmente estaríamos hoje aqui a inaugurar estas instalações”.


”O equipamento hoje inaugurado é um bom exemplo dos frutos do trabalho de parceria e em rede entre várias instituições, que tem sido feito no nosso concelho nas diferentes áreas sociais” – referiu o Presidente Afonso Abrantes

Ao usar da palavra na cerimónia de inauguração, o Presidente Afonso Abrantes considerou que este era “um dia particularmente feliz para todos os mortaguenses porque vêem de novo este edifício colocado ao seu serviço”. Afirmando “é um dia feliz para a Santa Casa da Misericórdia de Mortágua e nomeadamente para os seus Mesários que vêem recompensados os seus esforços e as agruras que passaram para chegar até aqui neste processo. Mas é também um dia em que o Presidente da Câmara tem razões para estar satisfeito porque esteve na origem deste processo e acompanhou todo o seu desenvolvimento e vê-o concluído, cumprindo assim mais um dos seus objectivos”.
Aproveitou a ocasião para publicamente reconhecer “o importante papel desempenhado pela Santa Casa da Misericórdia na prestação de tantos e tão variados serviços às populações do concelho. Sobretudo nos últimos dez anos, o que se verificou no concelho foi uma verdadeira “revolução social”, para o que contribuiu o trabalho em parceria das várias instituições locais, que permitiu que o concelho tenha hoje níveis de atendimento quantitativos e qualitativos muito bons nas diferentes áreas sociais.” Daí que, afirmou, a Câmara Municipal se tivesse desde logo disponibilizado para apoiar este projecto, “porque para nós é fundamental que a Santa Casa possa continuar a desenvolver a sua acção social, quer melhorando as valências já existentes, quer criando novas valências”. Sublinhou que a Santa Casa da Misericórdia de Mortágua “é hoje uma instituição de cuja parceria a autarquia não pode prescindir, uma instituição cuja actividade é muito importante no desenvolvimento do concelho e na qualidade de vida das pessoas”.

“Houve aqui uma vontade tenaz e um enorme esforço conjunto para que fossem ultrapassadas as dificuldades e este equipamento fosse hoje uma realidade” – palavras do Secretário de Estado da Segurança Social

O Secretário de Estado da Segurança Social começou por destacar o esforço conjunto da Santa Casa e da Câmara Municipal para que este equipamento viesse a ser uma realidade. “ Houve aqui uma vontade tenaz da Instituição e da Câmara Municipal, e concretamente do seu Presidente da Câmara, para que este equipamento fosse uma realidade, para que este equipamento voltasse a estar ao serviço das populações de Mortágua. Como membro do Governo que agora constatou todas as dificuldades e problemas ao longo deste processo, que entretanto foram ultrapassadas pela vontade das gentes locais, naturalmente sinto uma grande satisfação por poder estar em Mortágua e ver cumprido aquilo que eu agora percebi, era um sonho dos mortaguenses.
O Governo fica satisfeito por ver no terreno gente com tanta vontade de aumentar as políticas sociais e os apoios sociais à população. Estou convencido que Mortágua continuará a ser um concelho solidário, um concelho desenvolvido, enquanto tiver esta capacidade de ser generoso para aqueles que mais necessitam”.

Entrega de diplomas de Sócios Honorários


Esta cerimónia ficou também assinalada pela entrega de diplomas de Sócios Honorários a várias personalidades, como reconhecimento público da sua generosidade, dedicação e apoio à instituição. Foram distinguidos os antigos Provedores Dr. José Abreu (já falecido) e Dr. Vítor Seabra, e o presidente da Câmara Municipal, Dr. Afonso Abrantes. O mesmo diploma foi entregue ao Sr. Amadeu Gouveia, que recentemente fez a doação de um autocarro à instituição no valor de 66 mil euros. Um gesto de generosidade raro e um exemplo a seguir, que mereceu por isso palavras especiais de elogio de todos os oradores. No final todos os presentes puderam visitar demoradamente as instalações, quartos, salas de estar, salas de actividades, cozinha, salas de fisioterapia e de apoio médico, entre outras divisões, constatando o seu elevado conforto e funcionalidade. A capela do “antigo Hospital” foi também totalmente remodelada no seu interior.




Direitos de autor reservados
ImprimirImprimir

  Outras notícias
Bruno Sancho vence em casa e sagra-se novo Campeão Nacional de Maratona XCM, categoria Elites.2021-10-18
Ricardo Pardal tomou posse como presidente da Câmara para o mandato 2021-20252021-10-18
Marcos Históricos. Praça do Município acolheu o espetáculo “A Encruzilhada do Bussaco”. 2021-10-12
Mortágua foi palco do espetáculo comunitário “O Caldo – Contar de Ouvido”2021-10-06
Concerto comemorativo dos 125 anos da Filarmónica de Mortágua2021-09-29
Receção aos alunos da Academia Saber+. Ano letivo arrancou com cerca de 70 alunos já inscritos.2021-10-04
Passeio Noturno Encenado – “Marcos Históricos - A encruzilhada do Bussaco”2021-09-29
Joaquim Silva e Pedro Pinto foram bronze no Campeonato Nacional de Rampa 2021-09-13
Mortágua tem 4º mural evocativo das Invasões Francesas. Trabalho é da autoria da artista mortaguense Rute Gonzalez. 2021-09-08
Joaquim Silva, da equipaTavfer-Measindot-Mortágua, venceu 1ª Etapa e é Camisola Amarela do GP Jornal de Notícias 2021-09-01


Início | Município | Notícias | Eventos | Turismo | Contactos | Mapa do Site | Política de Privacidade